PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

O projecto tem como objectivo aprofundar a pesquisa sobre a consciência histórica de alunos e professores de História em Portugal, numa perspectiva de diálogo intercultural com diversos países de expressão portuguesa. Constituindo-se como um desenvolvimento dos estudos realizados no âmbito do anterior Projecto Consciência Histórica – Teoria e Práticas, enquadra-se na investigação que se desenvolve em torno da consciência histórica dos jovens em vários países.

A indagação sistemática dos vários sentidos e “usos” da História torna-se premente quando se procura o desenvolvimento de competências sociais e literacia dos jovens. Como tais sentidos se reflectem nas práticas formais de ensino de História, torna-se necessário diagnosticar e depois intervir fundamentalmente na formação de professores de História, de forma a que as implicações da investigação sejam incorporadas na acção. Numa abordagem essencialmente qualitativa, o Projecto pretende aprofundar a compreensão dos sentidos atribuídos pelos sujeitos à necessidade de orientação temporal, em interconexão com noções como (inter)identidades sociais, evidência, narrativa e significância em História, e com o papel do Património na Educação Histórica.

É também um objectivo deste projecto contribuir para a consolidação de uma rede de investigação em educação histórica, um campo de estudo emergente em Portugal. A prossecução desta investigação reforçará ligações internacionais já existentes, designadamente a projectos em curso no Brasil, Reino Unido e Canadá, o que contribuirá para a realização de análises sistemáticas, “comparativas”, em torno da consciência histórica de jovens e educadores.

Desenvolve-se oito tarefas: além do prosseguimento de reflexão epistemológica, aplicam-se questionários e realizam-se entrevistas a amostras de alunos dos ensinos básicos e secundário para explorar ideias-chave ‘de segunda-ordem’; experimentam-se e avaliam-se actividades exteriores ligadas ao património com alunos e professores de História, assim como tarefas de interpretação de fontes com alunos do 12º ano; dinamizam-se oficinas de formação com profissionais de História abrangendo quase a totalidade das regiões do país.

Com a análise dos dados procurar-se-á identificar perfis conceptuais e avaliar tarefas consistentes de ensino-aprendizagem baseadas na resolução de problemas. Os processos e resultados de investigação serão disseminados através de apresentações em reuniões científicas e publicações, oficinas de formação para profissionais de Ensino de História e difusão de materiais entre professores e decisores de política educativa.